Dicas para Iniciantes

 

Primeiras dicas para entrar no hobby


ROBERT J. FOX (*)

Na qualidade de aeromodelista ávido e instrutor de vôo, me espanta a maneira pela qual alguns principiantes se iniciam no hobby. Sua atitude é alguma coisa do tipo "Preparar, apontar... fogo!". Essa tática não funciona bem neste hobby. Enquanto você está aprendendo, será inevitável cometer enganos e quebrar aviões. Devido à sua natural falta de conhecimento e experiência, os novatos sofrem muito com isso. As dicas listadas abaixo não eliminarão as chances de um acidente, mas aumentarão suas possibilidades de sucesso no aeromodelismo.

1. Ache um bom clube – Eu fico pasmo com o número de pessoas que entram em um clube logo de cara. Muitos nunca visitaram quaisquer dos outros clubes da área e não têm as informações necessárias para comparar as vantagens e desvantagens de cada um.

Procure um clube onde os sócios sejam receptivos a visitantes. Este é o tipo de ambiente ideal para apoiar um ini-ciante. Os sócios tendem a especializar-se? Pode ser que um clube cujos sócios estejam profundamente envolvidos com modelos em escala não seja muito adequado para quem está dando os primeiros passos no hobby.

O campo e a pista são grandes o bastante para facilitar a vida de quem vai aprender a voar? Há espaço aéreo suficiente? As áreas de escape em torno da pista são amplas? A pista é orientada de forma que os ventos predominantes e o Sol não atrapalhem? O clube dispõe de área coberta e bancadas de trabalho? Água potável e banheiros? O clube possui cabo trainer para as principais marcas de rádio? Há um sistema de controle de freqüência? Um período de experiência sem compromisso pode ser-vir para verificar esses detalhes.

Finalmente, peça que alguns sócios comparem o clube com outros existentes na área. Pergunte quais as vantagens e desvantagens de cada clube. É muito provável que você receba respostas completamente honestas e francas. Por exemplo, um clube que tenha um espaço aéreo muito limitado pode lhe custar um avião se você bater numa árvore, ou o vento predominante de través pode di-minuir as suas chances de voar, resultando em atraso no treinamento.

2. Ache um bom instrutor – Infelizmente, muitos clubes não têm programas de qualificação de instrutores. Assim sendo, você terá que avaliar sozinho quem é o melhor piloto para ensinar-lhe. Preste atenção nas qualidades de cada um. Dê preferência àqueles que freqüentemente são solicitados para resolver um problema complicado. Muitos pilotos bons não têm tempo para dar instrução. Aproxime-se dos que se mostrarem mais prestativos.

Pergunte aos sócios do clube quais são os bons instrutores. Se você vir um instrutor se preparando para voar com um aluno, pergunte se você pode ficar junto e observar o processo de treina-mento, mas não atrapalhe fazendo per-guntas ou comentários.

O estilo de treinamento do instrutor lhe agrada? Ele é competente? Uma vez que grande parte do treinamento acon-tece no solo, o instrutor deveria fazer um briefing minucioso antes do vôo, comple-mentando com comentários ao encerrá-lo. Discute-se muito se é bom ter mais de um instrutor. Eu estimulo meus estu-dantes a voar com outros instrutores simplesmente porque aprenderão técnicas diferentes.

Não tenha medo de pedir ajuda aos instrutores escolhidos. Se você receber uma resposta negativa de um (normalmente porque a pessoa simplesmente não tem tempo), pergunte a outro. Tal como na escolha do clube, a seleção do instrutor também requer algum tempo observando para decidir quem lhe trará os melhores resultados.

3. Ache uma boa loja – No comércio de materiais de aeromodelismo, existe sempre um compromisso entre preço, conveniência e a competência e disposição do profissional para orientar o cliente. Os principiantes precisam muito mais de orientação do que de preço. Não escolha sua loja só baseado nos preços. Vá a várias e diga que você está interessado no hobby, mas não vai fazer qualquer compra naquela visita. Veja o que cada loja oferece em termos de componentes básicos (kits, motores e rádios), ferramentas, material de acabamento e outros.

Fale com o dono ou o vendedor e descubra se eles são aeromodelistas ativos. Peça conselhos sobre o que comprar para começar. Peça que enumerem as vantagens e desvantagens de cada opção e desconfie se não for menciona-da nenhuma desvantagem. Tome cuida-do com pressões para fechar negócio rapidamente ou se o vendedor não está querendo empurrar artigos "encalhados".

Desconfie se recomendarem comprar produtos muito sofisticados logo de cara, como rádios computadorizados com mais do que 4 ou 6 canais. Faça anotações. Repita este processo cada vez que visitar uma loja, até mesmo indo a outras cidades se necessário.

Terminada a primeira rodada, separe as mais promissoras para uma segunda visita. Compare as várias recomendações e converse novamente com cada vendedor sobre as vantagens e desvan-tagens dos seus conselhos em relação aos outros. Feito isso, você pode decidir onde fazer suas compras. Se achar mais de uma loja boa, faça negócios com todas elas. Durante a escolha do clube, do instrutor e da loja, você aprenderá muitas coisas importantes.

4. Quanto mais simples melhor – Eu já vi muitos alunos aparecerem no campo com rádios computadorizados de última geração, motores de 4 tempos e aviões sofisticados. O raciocínio deles é mais ou menos assim: "Bem, se você leva este hobby a sério, provavelmente vai querer o melhor equipamento, então, é melhor comprá-lo logo de uma vez".

Embora essa idéia seja atraente, há um outro ponto de vista. Primeiramente, rádios computadorizados requerem uma certa habilidade para programar. O prin-cipiante normalmente não compreende os fundamentos da regulagem dos comandos, o que torna a programação muito difícil. Segundo, a flexibilidade que um rádio computadorizado oferece pode levar alguns iniciantes a deixar de apren-der certas técnicas importantes: até mesmo com um desses rádios é fundamental saber regular mecanicamente os comandos. Terceiro, se você permanecer no hobby, é muito provável que sempre terá uso para um rádio de 4 canais. Até mesmo se comprar um rádio computadorizado mais tarde, ainda poderá usar os componentes de bordo do sistema de 4 canais para equipar um outro aeromodelo.

Da mesma forma, um motor de 4 tempos é mais complexo, mais caro e você vai gastar mais para consertá-lo em caso de queda. Elas acontecem, você sabe! A escolha do primeiro avião é crítica para o seu sucesso. Prefira uma marca de renome para não se arrepender mais tarde.

5. Nada de equipamento velho – É tentador comprar um equipamento usado para "economizar" dinheiro. No entanto, isso equivale a comprar um carro usado sem entender nada de mecânica. Você pode se dar mal. Um equipamento usado tem maior probabilidade de mau funcionamento. Jamais compre baterias de níquel-cádmio (NiCds) usadas! Compre equipamento de marcas tradicionais, leia as instruções e siga-as à risca.

6. Leia, leia e leia – O aeromodelismo RC é um hobby que requer alguns conhecimentos elementares de mecânica, aeronáutica e eletrônica. Felizmente, há várias fontes de informação. As revistas de RC normalmente trazem artigos destinados aos principiantes. Há também vários livros, principalmente em Inglês. Catálogos de produtos costumam ter informações muito úteis para os novatos. Manuais de instrução de kits às vezes são fontes excelentes de boas técnicas. Se puder, peça emprestado livros, catálogos ou manuais.

7. Simulador de vôo é bom? – Sim! Com o surgimento de simuladores de vôo para PC’s, muitos alunos começam o treinamento num deles. Geralmente, eu consigo ver se o aluno treinou no simulador já no primeiro vôo. Problemas de inversão de controle e a tendência a exagerar os comandos são minimizados. Se custo não for um obstáculo, compre um simulador. Porém, não espere que ele o ajude muito além da fase de treinamento primário. Os simuladores podem ajudar a desenvolver a coordenação olho-mão e a mecânica dos controles, mas eles simplesmente não são realistas o bastante para ajudar muito em coisas como um procedimento de aterrissagem. (Veja neste site a página sobre o simulador Aero Chopper)

8. Avalie diferentes opiniões – Um dos aspectos mais frustrantes do aero-modelismo é que há muitas opiniões sobre quase tudo. Muitas vezes as opiniões de pessoas altamente respeitadas diferem significativamente umas das outras. Por exemplo, pergunte qual avião de treinamento é o melhor para um no-vato. Provavelmente você ouvirá várias respostas diferentes. A chave está em entender porque cada indivíduo tem uma opinião em particular. Um pode valorizar mais o manual de instruções, outro, a durabilidade, um terceiro acha que o mais importante é o custo etc.

Entendendo a escala de valores de cada indivíduo, fica mais fácil julgar as vantagens e desvantagens de cada opção e, então, de acordo com as suas próprias prioridades, determinar o que é melhor para você. Um kit de treinador muito bom não será a melhor escolha se você não tem tempo para montá-lo. Neste caso, sua melhor opção será um modelo ARF (do Inglês "Almost Ready to Fly", Quase Pronto para Voar ou simplesmente semipronto).

9. Observe – É muito comum ver iniciantes cometendo o seguinte erro: eles detectam algo que não entendem e, porque o que está acontecendo não corresponde à sua idéia de como aquilo deveria ser ou funcionar, eles ignoram o problema e acabam derrubando o avião. Por exemplo, eu vi um principiante brigar durante vários vôos com um avião cujos comandos estavam desregulados (ou "destrimados", como se diz no jargão das pistas). Na cabeça dele, a situação não fazia sentido. Ele já estava reabastecendo para voar novamente quando um piloto experiente veio ajudá-lo.

Quando a asa foi removida, viu-se que o montante do servo do profundor não tinha sido bem colado e o servo estava solto. Esse aeromodelista ganhou um avião! Se desconfiar que algo está errado, verifique imediatamente. Peça ajuda a um piloto mais experiente. Também observe outros modelos na pista. Veja se a regulagem dos coman-dos está muito diferente. Repare como seus motores foram instalados. Observe os pilotos experientes, principalmente o procedimento de pouso. Você aprenderá muito só observando.

10. Calma – Outro engano que muitos novatos cometem é tentar pro-gredir muito rápido. Durante o treina-mento, quatro vôos por dia são o limite. Ocorre uma deterioração muito grande na coordenação motora da maioria dos alunos depois de três ou quatro vôos. Além disso, os vôos devem ser espaçados em mais ou menos 30 minutos. Normalmente, eu vôo meu próprio avião entre um vôo com um aluno e outro.

É comum alunos que solaram recentemente quererem logo passar para um modelo mais avançado: um caça com flaps, trem retrátil e sistema de fumaça. Certa vez, vi um piloto principiante comprar três aeromodelos avançados novos e os destruí-los numa única tarde! O segundo avião não pode ser muito mais sofisticado do que o primeiro treinador de sua vida. Vá devagar!

11. Apaixone-se – Um dos primeiros conselhos que eu recebi quando estava começando foi, "Não se apaixone pelo seu primeiro avião". Eu ouvi isto muitas vezes desde então. Tudo bem, você não deve ficar frustado com as "raladas" inevitáveis no seu primeiro aeromodelo, mas acho que é muito saudável se apaixonar por ele ou por qualquer outro aeromodelo. Por que não? O aeromodelismo pode assumir as proporções que você desejar. Pode permanecer simples e modesto ou consumir muito tempo, esforço e dinheiro. Pode ser uma forma de convívio social, uma oportunidade de participar de competições ou apenas um divertimento. Não há absolutamente nada de errado nisso. Só não se esqueça de que os problemas acontecem com muita freqüência no início da aprendizagem. Não desanime e, acima de tudo, relaxe e divirta-se!

(*) Robert J. Fox é articulista da RC Modeler. Tradução de Luiz Henrique da Câmara Camillo.

 

 

 

Dúvidas típicas de um iniciante

 

1- Quando se compra um kit de avião RC, ele vem com as especificações do motor e do rádio que precisa?

Sim, sempre. Cada avião exige que se use motor e rádio adequados a ele.

2- Num avião que pede um motor 40 e um radio de 4 canais, eu posso usar qualquer motor 40 e qualquer tipo de rádio?

Sim, pode. Mas é importante notar que há motores de mesma cilindrada (é isso que significam os números 40, 60 ou 90 etc) que diferem em qualidade. Por exemplo, a marca Thunder Tiger tem dois motores 40, ambos muito bons, mas um deles (o GP 40) é um pouco mais simples; o outro (PRO 40) é um pouco mais sofisticado (tem rolamentos em vez de buchas no girabrequim e o carburador é um pouco mais preciso). Isso não quer dizer que o motor mais simples seja ruim. Nada disso! Ele é capaz de levantar um avião tão bem quanto o motor mais sofisticado, só que, por ser mais simples, é mais barato.

3 - Então, por que não fazem só motores mais simples e mais baratos?

Por que quando você se tornar um piloto mais experiente e mais exigente, você vai querer uma pitadinha a mais de desempenho. Aquela pitadinha que só um bom piloto é capaz de perceber e saber usar para tirar proveito numa competição.

Voltando à pergunta inicial, quanto ao rádio, se o avião pede quatro canais, é claro que você deve usar um tipo com, no mínimo, quatro canais! Nunca menos! Mas nada impede que você use um rádio mais sofisticado (digamos, de 8 ou 10 canais), desde que saiba como operá-lo.

4 - O que significa o número que especifica um motor, por exemplo 40, 45 ou 60?

No Brasil, adotou-se o costume de classificar os motores para modelismo pelo volume da câmara de combustão (a "cilindrada") expresso em polegadas cúbicas. Ou seja, o popularíssimo motor 40 possui 0,40 pol³, equivalente a 6,5 cm³. O motor de 0,60 tem 9,9 cm³. Por comodidade, nos referimos a esses motores e aos modelos que eles equipam apenas pela fração que define a cilindrada, ou seja, 40, 60 ou 90 etc. Os motores com cilindrada superior a 1,0 pol³ costumam ser nomeados com numeral acima de 100. Por exemplo: diz-se que um motor de 1,20 pol³ é um motor 120.

Na prática, no entanto, os nºs. 40, 45, 60 etc associados ao nome do motor são aproximações da cilindrada. Por exemplo, os da classe "quarentinha" podem ter 0,39 pol³; outros podem ter 0,41 pol³ etc. Ou seja, eles têm mais ou menos o mesmo volume na câmara de combustão.

5 - Todos os motores 40, por exemplo, são do mesmo tamanho?

Se você se refere ao tamanho externo ou ao peso eles podem variar entre si. Eu, por exemplo, tenho um velho motor 60 que pesa quase o dobro de um moderno Supertigre de mesma cilindrada. A tecnologia usada na produção pode variar muito de um fabricante para outro de modo que, mesmo com a mesma cilindrada, dois motores podem ter potências diferentes.

6 - O que é um rádio 4 canais, 6 canais etc? O que é AM e FM?

Cada canal serve para controlar uma função do modelo. Assim, um rádio de quatro canais controla o leme, o profundor, os ailerons e o motor. Com um rádio de seis canais se pode acrescentar, por exemplo, um controle para flaps nas asas e outro para recolher o trem de pouso. E por ai vai...

AM e FM indicam os modos como são modulados os sinais de radiofreqüência emitidos pelo transmissor. AM significa Amplitude Modulada; FM significa Freqüência Modulada. Os rádios FM são menos sujeitos a interferência causada por "ruídos" eletromagnéticos (raios ou mesmo emissões de estações de rádio, TV ou radioamadores etc). Os AM, porém, são um pouco mais baratos.

Se você mora numa região metropolitana, dê preferência a um rádio FM. Se mora em pequena cidade ou na zona rural, um AM dá conta do recado sem problemas. A diferença de preço entre os AM e FM costuma ser pequena.

ATENÇÃO! Rádios de mesma freqüência interferem uns nos outros, sejam eles AM ou FM. Nunca ligue seu rádio sem antes verificar se há outro aeromodelista por perto usando a mesma freqüência. Prefira voar num clube de aeromodelismo ou com um grupo de amigos para facilitar o controle da freqüência. Isto é muito sério!

7 - Qual o combustível usado em aeromodelos?

A imensa maioria dos motores para modelos (aviões, helicópteros ou carros) usa uma mistura de metanol e óleo lubrificante. O lubrificante mais usado é o óleo de rícino (óleo de mamona, vegetal, portanto), puro ou combinado com algum óleo mineral ou sintético.

Antigamente, cada aeromodelista tinha que comprar os ingredientes em lojas especializadas em produtos químicos e preparar em casa o combustível. Isso era um perigo! O metanol é tóxico.

Hoje, toda loja de aeromodelismo vende combustível pronto. Mas nunca compre combustível sem saber qual é a marca e de onde ele veio. Verifique se o galão está firmemente fechado e lacrado.

Siga rigorosamente TODAS AS RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA! Manipule o combustível somente em local arejado. Guarde-o em lugar fresco e seco. Não deixe vasilhame exposto ao Sol ou dentro de carro fechado.

Atualmente, é muito comum o uso de combustíveis "aditivados" com um composto chamado NITROMETANO cuja função é auxiliar a combustão e diminuir o risco de falhas em vôo. O nitrometano é tóxico.

Você vai ouvir falar muito da "porcentagem de nitro" no combustível: 10%, 15%, 20%... etc. Saiba, no entanto, que qualquer motor pode funcionar com 0% (zero %) de nitro. Porém, está "na moda" usar combustível com 10%, mas 5% é o suficiente.

E, finalmente, há certos motores de competição que usam uma mistura de querosene, éter e óleo de rícino e há alguns motores de grande porte que usam gasolina. Mas isso é outra história...

8 - Se eu já tiver um motor 40 ou 45/46 e um rádio de 4 canais posso usá-los em qualquer avião que peça essas configurações?

O motor e o rádio devem ser adequados ao avião. Há modelos que pedem motor 45/46, mas exigem desempenho de competição. Então, você tem que usar nesse avião um motor 45/46 de alta performance e seu rádio deve ser mais sofisticado (por exemplo, do tipo computadorizado, que pode ser programado de acordo com as exigências do piloto).

Seria um exagero colocar num avião de treinamento para iniciantes um supermotor de competição. Concorda?

9 - Os kits têm instruções sobre como instalar o motor e o rádio?

Depende do fabricante. Mas é altamente recomendável pedir a ajuda de um aeromodelista mais experiente para instalar o motor e o rádio. Aliás, se você nunca montou um aeromodelo, é recomendável pedir ajuda para a própria construção do modelo.

De qualquer modo, é importante pedir para um aeromodelista mais experiente dar uma checada no seu modelo antes de fazer o primeiro vôo.

Outra coisa: não tente aprender a pilotar sozinho! Peça auxílio para um colega experiente ou recorra a um instrutor. As lojas de aeromodelismo costumam indicar instrutores na região. Veja neste site a relação de revendedores da Aeromodelli. Consulte os mais próximos da sua cidade.

10 - Eu pretendo comprar um modelo do Tucano que precisa de um motor 40 e um rádio de 4 canais. Eu posso comprar qualquer motor e qualquer rádio desde que sejam 40 e 4 canais?

Esta pergunta já foi respondida acima. Eu não conheço nenhuma marca de kit de Tucano produzido no Brasil ou no Exterior de seja destinado a principiantes. Tome cuidado. Esse avião é lindo, mas pode não ser o ideal para aprender a pilotar.

Comece, de preferência, com um treinador mais simples. Não se deixe iludir pela beleza do avião na hora de comprar seu primeiro aeromodelo. Os treinadores geralmente são feiosos, porém são mais fáceis de pilotar e de consertar.

Lembre-se de que "ralar" o avião será muito comum na fase de aprendizado. Por isso, não vale a pena se apaixonar em demasia pelo primeiro aeromodelo RC de sua vida..., mas depois que você pegar as manhas básicas da pilotagem, aí sim...

11 - Que sugestão vocês poderiam me dar de aeromodelo para montar (contanto que não seja um avião tipo trainer), de motor e de rádio que custem barato?

Você quer mesmo começar no aeromodelismo, mas não quer começar com um treinador. Aí a coisa fica complicada. Talvez você esteja mal impressionado com alguns treinadores que são, de fato, feiosos. Tudo bem.

Sugiro, então, que você compre um treinador bonito, desde que seja um TREINADOR! Sim! Existem treinadores que são muito bacanas! Consulte a sua loja predileta, dê uma olhada nas revistas e escolha o mais bonito. Repito: não vá comprar gato por lebre. Você precisa de um TREINADOR.

Quanto ao motor, que tal um Thunder Tiger 42 GP? O rádio pode ser um Futaba Sky-4, de 4 canais. Dá e sobra... Estas alternativas certamente estão entre as mais baratas, mas, é claro, pesquise os preços entre as lojas ou fornecedores, pois podem variar muito de um lugar para outro.

 

Conheça os livros
de Hobbylink
Indispensáveis para novatos
e veteranos no hobby!
LANÇAMENTO!
MIRAGE III na Força Aérea Brasileira
NOVO
OFICINA DE AEROMODELISMO – Volume I – Construção, Dicas e Truques
NOVO
Oficina para Maquetes e Modelismo
Livros Hobbylink Manual para Construção de Kits de Aeromodelos a Elástico
Livros Hobbylink Técnicas para o Modelismo Naval
Livros Hobbylink Viagem ao
Mundo do Aeromodelismo
Livros Hobbylink
Manual Básico de Aeromodelismo Radiocontrolado!
Livros Hobbylink
RADIOCONTROLE Modelismo para o século 2